Solução para monitorização de pragas de forma automática em culturas

Sobre o produto

A produção vinícola na região do Douro Vinhateiro configura um dos mais importantes setores económicos desta região, contribuindo ainda de forma decisiva para a economia nacional e para o reconhecimento do país através de um dos seus mais icónicos produtos, o vinho do Porto. Uma das ameaças à viticultura desta região, num contexto de alterações climáticas, está relacionada com o aparecimento de pragas, as quais, para além de afetarem a qualidade da uva, podem transmitir doenças de quarentena, o que compromete seriamente a viabilidade desta cultura.

A imprevisibilidade desta ameaça e a dificuldade em monitorizar o grau de risco dificulta a definição de estratégias eficazes que minimizem o número de tratamentos fitossanitários a aplicar. A monitorização de insetos é atualmente realizada usando armadilhas que atraem estes insetos e permitem posteriormente proceder à sua identificação. No entanto, a contagem e distinção de insetos em armadilha é uma tarefa manual e consumidora de tempo e recursos, para a qual não existem dados digitais com distribuição geográfica suficiente.

O reconhecimento de insetos exige ainda a contribuição de especialistas em taxonomia, especialmente em armadilhas cromotrópicas, tornando o processo e consequentemente o método de diagnóstico, moroso, estanque e suscetível a erros. Este cenário motivou a definição do projeto EYESonTRAPS, onde se propõe o desenvolvimento de uma solução móvel para prevenção de pragas, que suporte o registo de temperatura localizada, monitorização automática de insetos em armadilhas e a recomendação de tratamentos para combater as ameaças identificadas, de forma a diminuir o erro humano e maximizar o processo de análise.

O sistema será ainda desenhado de forma modular e escalável para suportar a deteção de novas pragas, permitindo no futuro a identificação de espécies não consideradas no projeto.

Componentes do EYESonTRAPS

O projeto vem colmatar as seguintes falhas na monitorização atualmente realizada, não só na RDD mas nas mais diversas regiões vinhateiras a nível nacional e internacional:

  • A falta de dados de fenologia (Escala de Baggiolini) geograficamente distribuída
  • A falta e melhor distribuição de dados climáticos, com temperatura no local da contagem de armadilhas;
  • A falta de conhecimento de taxonomia (identificação de espécies) por parte dos viticultores ou técnicos de viticultores (agentes tomadores de decisão), principalmente no caso de novas pragas.

Aplicações temáticas disponibilizadas no INFRAVINI:

O EYESonTRAPS tem o grande objetivo de desenvolver uma solução móvel e de colaboração coletiva utilizando smartphones no campo para a prevenção e controlo de pragas. Neste projeto será desenvolvida uma nova tecnologia que suporte a contagem e diferenciação automática de insetos em armadilhas, incluindo pragas emergentes no Douro e a monitorização de temperatura bem localizada e geograficamente distribuída, com vista à aplicação de modelos de fenologia e posicionamento de estimativas do risco contra pragas. A deteção de forma mais precisa das espécies de insetos, promoverá um melhor posicionamento das estimativas do risco e uma aplicação mais racional e precisa dos meios de protecção fitossanitários, contribuindo para um uso sustentável dos pesticidas Desta forma, somente em reais emergências fitossanitárias serão aplicados tratamentos fitossanitários nas culturas, protegendo e preservando consequentemente a biodiversidade local, dando oportunidade a que os mesmos possam exercer limitação natural das pragas, numa estratégia de proteção biológica por conservação.

Toda a informação:

PRODUTO RESULTANTE DE PROJETO COFINANCIADO POR:

FLYER

Eyes on Traps